Ainda um Impeachment em andamento?

image

O calor das lutas e polarizacao das ideias pode nos levar a não refletir corretamente. É bom dizer que não aceito o golpe. Desconheço a legitimidade do Vice Presidente Temer para governar o País. Identifico que a oposição colocou pessoas chave encargos estratégicos para dar garantias para o seguimento ao golpe e para vestir-se uma roupagem com aparência de legalidade.

Dado a conhecer o que penso sobre o golpe, vamos ao momento que vivemos. A presidente eleita, Dilma Rousseff foi afastada de suas funções para que haja o prosseguimento do processo no Senado. O afastamento da presidente, imposto pela própria Constituição é um instrumento que impede que o julgamento venha a ser prejudicado.

Estamos vivendo no Brasil exatamente este momento político. Dilma está AFASTADA, e durante seu afastamento assume o Vice Presidente. Portanto, ao menos nestes180 dias de afastamento da Presidente, o Sr Temer continua sendo e só é VICE PRESIDENTE EM EXERCÍCIO.  Erram os jornais quando o chamam de Presidente em exercício, pois o País não pode ter dois presidentes. Dilma continua presidente e está em solo brasileiro. Apenas por força do processo está afastada, mas ainda não perdeu o cargo.

Dito isso, ficaram grand incógnita sobre as ações do Vice presidente Temer desde o afastamento da Presidente. Se o afastamento do presidente se dá para que ele não possa influenciar no resultado do processo de impeachment, também não pode o vice presidente em exercício fazê-lo.  Portanto, se o afastamento definido pela Constituição e de 180 dias, não deveria o vice presidente em exercício aguardar este tempo e a condenação definitiva para poder mudar a estrutura do governo? Se estamos enumera tempo de afastamento da Presidente,cosmópole o Vice-presidente eleger Ministros, fechar ministérios e dar outros encaminhamentos que são próprios do presidente.  Lembrem que este é um tempo novo parda todos. Pois quando do Impeachment do presidente Collor ele renunciou. Não é o caso neste momento. Não houve renúncia.

Portanto, se ainda acreditamos nas instituições, sendo estejam tempo de afastamento e de andamento do processo, pois a votação na Câmara, apenas deu aberturas processo no Senado, há de se reconhecer que estamos diante da possibilidade da presidente retornar ao poder. Portanto, fica a pergunta, poderia o senhor Vice Presidente fazer o que estafaremos nestes 180 dias? Penso que não. Poderia talvez trazerpara próximo de si algumas pessoas de suas confiança e por 180 dias dar encaminhamento paraque seguisse o plano de governo pelo qual ele foi eleito Macapá da presidente.

No tempo do afastamento, mudar ministros, eliminar ministérios, trucidar o plano de governo e trazeroutro plano totalmente diferente daquele que foi eleito com a chapa  que venceu as eleições configura um GOLPE que desrespeita as eleições e por conseguinte desrespeita na raiz a constituição. “. Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

Portanto, poderia o vice presidente fazer o que está fazendo se a presidente já estivesse condenada em definitivo pelo Senado. Mas a pressa, o inebriante ar do golpe,  o conluio entre legislativo e judiciário, parece ter deixado sem rumo o País. É cada vez mais o Vice presidente Temer age como golpista, sustentando-se nas falsidades que se multiplicam desde o início de todo este processo. As ações apressadas do Vice presidente abrem sua própria cova em baixo de seus pés. É bem possível que sua fome de poder e sua incapacidade sejam instrumento para salvar Dilma da derradeira eleição do Senado. Alguns senadores já perceberam a besteira que fizeram….

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Golpe, Impeachment e marcado . Guardar link permanente.